Prefeitura Municipal de Periquito - MG

Você sabia?
Imprimir Email

Administração

Cultura do Município

por Assessoria de Comunicação Social

21/06/2013 08:34

Importantes ícones da cultura periquitense

 
O Padroeiro de Periquito – São Sebastião
 
 
São Sebastião foi escolhido como padroeiro de Periquito porque era santo de devoção do fazendeiro Waldemiro Barrel – doador das primeiras terras do futuro município. 
 
A festa litúrgica do santo acontece no dia 20 de janeiro. A Igreja, contudo, tem uma programação rica que, geralmente, dura uma semana. Para os católicos, estes dias são cruciais. Eles se preparam para celebrar o santo e agradecê-lo pelas graças recebidas, em toda sua plenitude.
 
Alvorada de fogos, orações e celebrações à volta da Escultura Sacra, procissão pela cidade, Missa e Bênção Solene em homenagem ao padroeiro, shows religiosos, leilões, bingos e barraquinhas permeiam a Semana e enchem Periquito de paz, alegria e religiosidade.
 
São Sebastião era francês, nascido em Narbonne, no século III. Os pais, italianos de Milão, o levaram para esta cidade ainda criança. Cresceu em Milão. Serviu como soldado e, posteriormente, alcançou o posto de primeiro capitão da guarda romana, no tempo de Dioclesiano.
 
Evangelizava e ajudava os cristãos secretamente. Afinal, o imperador Dioclesiano perseguia estes cristãos. Foi delatado e condenado à morte. Assim, colocaram São Sebastião preso à uma árvore e os melhores arqueiros do imperador o flecharam até o considerarem morto. Milagrosamente, o santo sobreviveu e com a ajuda de uma mulher e amigos, recuperou-se. Apresentou-se novamente ao exército e, então, Dioclesiano ordenou que o espancassem até a morte. Ainda, assim, não morreu. Foi morto, posteriormente, transpassado por uma lança.
 
A tradição de venerar São Sebastião veio junto com os primeiros navegantes portugueses. Estes navegantes, aludiam a imagem de São Sebastião ao rei Sebastião de Portugal. O santo é protetor das lavouras e combate as pestes que atacam estes locais. Entende-se, assim, São Sebastião ser o santo de devoção do fazendeiro Waldemiro Barrel.

 
O Batuque 

 
Na região, o Batuque é ligado ao término da colheita. É uma dança típica que envolve todas as faixas etárias.
 
O Batuque é dança certa em todo casamento realizado no Córrego de Santa Cruz. Os encontros sempre acontecem no Sítio que leva o mesmo nome do Córrego. A festa fica animada quando a sanfona, a caixa e a viola começam a fazer sua parte. A reunião não tem hora para acabar.
 
Os “batuqueiros” querem passar a cultura para os filhos. Querem mostrá-la também nas escolas. Assim, o Batuque vai ser transmitido de geração para geração e nunca vai se perder na história periquitense.
 
O Batuque tem duas classificações básicas: Batuque Desafio e Batuque Moda. No Desafio, os participantes se revezam em grupos de quatro participantes. Na Moda, os participantes contam fatos acontecidos, relatos. “Os encontros entre os batuqueiros são regados à muita alegria, cachaça e feijoada”, conta Edelson Luiz, filho de um dos pioneiros da dança no Córrego de Santa Cruz.

 
Patrimônio Histórico Cultural 
 
Lugares arborizados com a preservação da cultura de nosso povo, sinônimo de respeito ao meio ambiente em sincronia com o lazer e o patrimônio histórico. 
 
Prova maior dessa preservação cultural, é a Praça Mirante da Esperança com a escultura sacra - réplica do Cristo Redentor, construída no morro da Capela de São Sebastião, tombada como Patrimônio Histórico Cultural de Periquito, através do Decreto Municipal 013/2005 de 11 de março de 2005.
 
A Capela São Sebastião é, sem dúvida, o maior ponto turístico de Periquito. Construída no ano de 1957, foi inaugurada no dia 20 de janeiro de 1958 em missa solene e celebração dos matrimônios de Antônio Gonçalves Ramos e Nilda Zeferino Ramos e José Zeferino da Silva e Amélia Vítor, celebrada pelo então Bispo da época Dom Hermínio Malzone Hugo e Padre Henrique, personagens fundamentais da história do município.
 
Sem dúvida, a maior prova do resgate da história, onde de fato tudo começou em Periquito.

 
Festas Populares
 
Carnaval de Rua
 
 
O Carnaval de Rua de Periquito é uma tradição e esse sucesso se dá pela ativa presença de toda comunidade que prestigia o evento com muita ordem, cordialidade com os visitantes e, principalmente, com muita alegria. 
 
A Folia periquitense é considerada uma das melhores festas de carnaval do leste mineiro e atrai pessoas de toda região.
 
Esta é uma festa que, por sua magnitude em termos culturais e pela sua importância nacional, desenvolve a tomada de iniciativas que possibilitam a convivência entre a preservação da cultura e o exercício da mais pura manifestação popular do Brasil. 
 
Esses resultados são positivos para a cidade e para o público visitante.
 
A cada ano que passa, temos um recorde de público e a festa de maior tradição brasileira é abrilhantada em Periquito com a presença de vários blocos que são uma surpresa para o evento e, estes, demonstram irreverência e bom humor.

 
Cavalgada e Rodeio Show 
 
A tradicional Cavalgada e Rodeio acontece em Periquito anualmente sempre entre o fim de junho e início de julho. Ainda é mais tradicional do que o Carnaval no município, é considerada uma festa mais familiar e exige um insvestimento bem maior do governo municipal.
 
A Cavalgada de Periquito a cada ano bate recordes de público e, nem o frio que abate a cidade nos dias da festa, serve como pretexto para que os visitantes e periquitenses deixem de prestigiá-la. Pelo contrário, o frio, fenômeno raro, é muito bem-vindo para embelezar ainda mais a tradição da festa. 
 
A tendência deste evento é só crescer. Periquito oferece uma festa de grande nível e totalmente gratuita.
 
Shows de fogos, orações, expectativa e muita coragem. Essas são características do rodeio que sempre é realizado nos dias da festa, o que atrai a atenção do público de todas as idades. Arquibancadas e camarotes lotados sempre são a garantia do prestígio deste esporte.
 
Nomes consagrados no mundo dos rodeios, como Marco Brasil e Gleydson rodrigues já se apresentaram na Cavalgada e Rodeio de Periquito. O evento, literalmente, sacode a cidade.
 
Nos palcos da festa, bandas renomadas nacionalmente como Marcelinho de Lima e Camargo, Pedro & Thiago, Camisa Suada, Trio Chaparral’s, Ataíde e Alexandre, Di Paulo e Paulinho, Vítor Hugo e outras fazem da festa um sucesso cada vez maior.

 
 


Matérias relacionadas

    Final do corpo do documento e conteúdo da página